O calor deste verão é um convite para aquele refrescante banho de piscina. Mas será que este mergulho não fica comprometido por causa da pandemia de coronavírus?

Mesmo com todos os parques abertos e as piscinas funcionando com controle de pessoas, os médicos se preocupam com isso. Thatiane Nakadomari, infectologista do ambulatório do Hospital São Vicente, orienta que a melhor dica que poderia dar é a de que as pessoas evitem as piscinas neste momento de pandemia.

“Acho que o mais coerente, no momento, é evitar. O problema maior das piscinas é o contato com outras pessoas”, alerta.

Caso realmente a pessoa queira ir à piscina ou até mesmo treinar numa academia que tenha natação, algumas dicas importantes podem ajudar a prevenir a contaminação pelo novo coronavírus:

  • Evite se trocar nos vestiários: chegue pronto e procure tomar banho em casa;
  • Se tiver que entrar num vestiário, use máscara o tempo todo e não entre se perceber que está cheio;
  • Se for treinar natação em academia, busque agendar horário para que esteja só você e seu treinador. Se puder agendar horário para usar a piscina do prédio ou do clube, busque essa alternativa;
  • O perigo está no contato com as pessoas, não na água, por isso evite entrar se perceber que tem mais de cinco pessoas na piscina contando com você;
  • Interagir com as pessoas que estão no mesmo ambiente, seja dentro da piscina ou até mesmo no vestiário, é o perigo, por isso evite;
  • Se estiver na piscina, perceber que chegaram mais pessoas que vão ficar muito próximas (a menos de dois metros de distância) de você, saia;
  • Continue levando consigo o álcool gel e coloque a máscara assim que sair da piscina;

É possível pegar o coronavírus pela água da piscina?

Não. Muita gente tem usado as piscinas de academias para exercícios. Uma das principais dúvidas é se é possível se contaminar com o coronavírus na água e sobre isso a infectologista explica que não. “O perigo está no contato com outras pessoas. Pela água, por si só, a pessoa não vai se contaminar. Porque a água de piscina costuma ter cloro ou até outros tratamentos, então não é contagiante, o problema são as pessoas, pois elas é que são contagiantes”, alerta Thatiane Nakadomari.

VEJA TAMBÉM: Piscinas abertas ao público na região de Curitiba para você se refrescar neste verão

Segundo a infectologista, se uma pessoa nadar sozinha na piscina, sair e outra pessoa entrar, ela não vai se contaminar. “Pode até ser que ela estava contaminada e não sabia, mas a outra pessoa que nadar não vai se contaminar pela água, exceto se acabar tendo algum contato com quem estiver contaminado no trajeto, no elevador ou no vestiário, por exemplo”.

A infectologista reforçou o recado de que, neste momento, por causa das festas de final de ano em que as pessoas acabaram aglomerando, a tendência é de que os casos aumentem. “Os hospitais vão encher novamente, então até por isso eu orientaria a não sair e frequentar piscinas com mais gente junto. Além da possibilidade da falta de uma vaga se a pessoa precisar, também temos que pensar que os profissionais da saúde já estão exaustos. Ficar em casa nesse momento é o mais seguro”.