Miguel e Helena se mantiveram firmes e fortes em 2021 entre as preferências do brasileiro na hora de escolher o nome do bebê. Pelo segundo ano consecutivo, essas foram as principais escolhas dos pais.

VIU ESSAS?

>> Dentes novos, uma ceia pra família e um emprego. Veja os pedidos da Árvore de Natal da Tribuna e ajude!

>> Pelo sonho de ver o filho atleta profissional, mãe vende bombons pra bancar campeonatos

Outra tendência que se manteve, em relação aos números de 2020, é a predominância de nomes curtos. Enquanto no ano passado figuraram quatro nomes compostos nas listas de meninos e meninas, agora foram cinco. E, entre essas opções, nenhum Enzo Gabriel, que esteve no topo dos rankings de 2018 e de 2019.

A lista é um levantamento anual da Arpen (Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais), com base em dados de 7.658 cartórios de registro civil do país. Em 2021, foram registrados 2.491.272 bebês.

Entre os meninos, os nomes mais escolhidos foram Miguel (28.301), Arthur (26.655) e Gael (23.973). Os dois primeiros aparecem no ranking dos cinco preferidos desde 2016, pelo menos.

Enquanto Miguel dominou a preferência dos pais no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, Arthur foi o mais escolhido no Norte e no Nordeste.

A lista de 2020 se repete neste ano, e a única surpresa fica por conta de Gael, que subiu da 7ª posição para a 3ª. O único nome composto do ranking é João Miguel (13.254), em 10º lugar.

10 nomes mais frequentes de meninos

1. Miguel 28.301

2. Arthur 26.655

3. Gael 23.973

4. Heitor 22.368

5. Theo 19.863

6. Davi 18.304

7. Gabriel 17.159

8. Bernardo 15.935

9. Samuel 15.563

10. João Miguel 13.254

Já entre as meninas, Helena (21.890), Alice (20.381) e Laura (18.448) estão no topo das preferências. A campeã de 2021 e de 2020 nem sempre foi unanimidade. Nos últimos cinco anos, ela já apareceu em 9º (2019), 5º (2018) e 3º (2017).

Na divisão por regiões, Helena é a preferida no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Quem lidera no Norte é Laura e, no Nordeste, Maria Alice.

Em relação a 2020, as novidades são a entrada de Maria Alice (14.677) e Maria Cecilia (10.850), em 4º e 8º lugares, respectivamente. Quem saiu do ranking foi Maria Eduarda e Lorena.

Os nomes compostos das meninas são dominados por Marias. Além de Maria Alice e Maria Cecilia, aparecem Maria Clara (10.980) e Maria Julia (10.235), em 7º e 9º lugares.

10 nomes mais frequentes de meninas

1. Helena 21.890

2. Alice 20.381

3. Laura 18.448

4. Maria Alice 14.677

5. Valentina 11.643

6. Heloisa 11.355

7. Maria Clara 10.980

8. Maria Cecilia 10.850

9. Maria Julia 10.235

10. Sophia 10.163

O apogeu e declínio de Enzo Gabriel e a dança de posições de Miguel e Helena mostram uma tendência cíclica, de acordo com Andreia Gagliardi, diretora da Arpen. Então, é possível que Gael tenha mais destaque no ranking de 2022.

Por falar em Gael, muitos pais se inspiram em novelas ou celebridades na hora de escolher como chamar o filho. No caso, esse é o nome de um dos filhos do ator e humorista Paulo Gustavo, que faleceu de Covid em maio.

Andreia credita, também, a predominância de nomes religiosos à fé em meio à pandemia, o que explica a lista ter Maria, Miguel, Davi, Gabriel e Samuel.

A diretora da Arpen frisa que quem tem 18 anos pode alterar seu nome sem grandes burocracias diretamente no cartório.

Assim, pode-se pôr fim a anos de bullying ou mesmo ao fato de não gostar de como se chama. Depois dessa idade, a pessoa precisa recorrer a uma autorização judicial.

Desde 2018, pessoas transgênero têm a seu favor uma norma do Conselho Nacional de Justiça para alterar seu nome. A medida tornou o processo mais célere –são cinco dias, da solicitação à emissão da nova certidão de nascimento.

Pantanal

Zuleica está preocupada com Marcelo

Instagramáveis

Saiba onde encontrar as lindas cerejeiras em Curitiba

Novidades da Netflix

Volume 2 de Stranger Things 4 e mais séries e filmes chegam nesta semana

Além da Ilusão

Joaquim termina seu noivado com Isadora