A Cinemateca de Curitiba e o Cine Passeio voltarão a ser palco da abertura do Festival Internacional do Documentário Estudantil (FIDÉ) entre os dias 11 e 15 de maio. O festival propõe o debate, difusão e valorização do cinema documentário produzido em âmbito estudantil em escolas, universidades e cursos livres do mundo todo. A abertura do acontece no Cine Passeio com sessão única do filme longa metragem Eneida, da cineasta curitibana Heloisa Passos. Essa será a primeira exibição do filme em Curitiba e terá bate-papo com a diretora. Todas as sessões têm entrada franca, com retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria do cinema.

O FIDÉ começou na França em 2008, com um grupo de estudantes estrangeiros de Mestrado em Cinema na Universidade Paris 8 que se reuniu para projetar documentários em um lençol branco em um squat no subúrbio de Paris. Em 2012, o festival aconteceu pela primeira vez no Brasil, onde tem sido realizado de dois em dois anos na Cinemateca de Curitiba, pela Motim Comunicação e Arte.

LEIA TAMBÉM:

>> Grupo Madero inaugura nova rede de restaurantes em Curitiba

>> Teatro, circo e cinema: veja a programação cultural de Curitiba no fim de semana

Devido à pandemia de coronavírus, o intervalo do festival na capital acabou ficando maior. A edição anterior ocorreu em 2019. O evento conta com o incentivo da EBANX e da Celepar via Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba.

Programação 

Este ano, o FIDÉ exibirá 39 documentários originários de oito países. Com diferentes linguagens, temas, formatos e abordagens, são filmes que revelam as múltiplas possibilidades narrativas do cinema de não ficção, atentos à pluralidade de linguagens e aos temas que movem a geopolítica e a sociedade hoje. 

O objetivo, segundo a organização, é dar visibilidade ao trabalho de jovens documentaristas mundo afora e às suas respectivas instituições de ensino, contribuindo para o pensamento crítico, a formação de plateia e a difusão do documentário como um dos gêneros mais livres e inventivos do cinema contemporâneo.

Filmes

A largada do festival ocorreu na última quarta-feira (27), na Cinemateca, com a sessão especial Esquenta FIDÉ, que exibiu o documentário A Alma do Gesto, de Eduardo Baggio e Juslaine Abreu-Nogueira. Dentro da programação estudantil, serão sete sessões, entre elas a especial DocNomads, que projetará curtas-metragens documentais de alunos do programa de mestrado europeu DocNomads, uma parceria entre a Universidade Lusófona de Lisboa, LUCA School of Arts de Bruxelas e Universidade de Teatro e Cinema de Budapeste.

O festival conta ainda com uma retrospectiva inédita em Curitiba de documentários dirigidos em Nova Iorque por Rita Moreira e Norma Bahia Pontes entre 1972 e 1975. Serão exibidos os filmes Lesbian Mothers (1972), She Has a Beard (1975) e Lesbianism Feminism (1974), seguidos de bate-papo com Rita Moreira, que viaja especialmente para o festival.

Eneida

O longa Eneida teve estreia mundial no 24º Festival du Cinéma Brésilien de Paris e no É Tudo Verdade 2022. No filme, a personagem Eneida, de 84 anos, faz uma jornada rumo a seu passado, em busca da filha primogênita que não vê há mais de 25 anos. Com a ajuda de sua filha do meio, a cineasta Heloisa Passos, Eneida embarca em uma odisseia que tenta derrubar o muro que divide a família. O documentário acompanha todo o processo, e juntas, mãe e filha transitam por momentos de descobertas, esperanças, medos e incertezas.

A realizadora e diretora de fotografia curitibana Heloisa Passos dirigiu vários curtas-metragens, entre eles o premiado Viva Volta, com Raul de Souza e Maria Bethânia. Seu primeiro longa-metragem como diretora, Construindo Pontes, estreou no IDFA, maior festival de documentários do mundo, e recebeu diversos prêmios, entre eles o Prêmio Marco Antônio Guimarães no 50 ̊ Festival de Cinema Brasileiro de Brasília, Menção Honrosa no CineEco 2018 (Portugal) e o prêmio da crítica CAMIRA no VIII Festival Márgenes (Espanha). 

Entre os mais de 40 filmes que fotografou, estão longas premiados internacionalmente, como Manda Bala (excelência em Cinematografia Sundance, 2007), Nothing Lasts Forever (Berlinale, 2022), Mulher do Pai (Berlinale, 2017 e melhor Fotografia no Festival do Rio), Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (Veneza, 2009 e melhor fotografia no Festival do Rio). Fez também fotografia adicional nos documentários Democracia em Vertigem (indicado ao Oscar em 2020) e Citizenfour (vencedor do Oscar em 2015). No cinema de ficção, fotografou Bocaina (2022), Fortaleza Hotel (2021), Deslembro (2018), O Que se Move (2012) e Rânia (2011), entre outros. 

Na TV, a diretora assina a direção de fotografia da série Me Chama de Bruna (Fox). Ela também é membra da Associação Brasileira de Cinematografia (ABC), do Coletivo de Mulheres e Pessoas Transgênero do Departamento de Fotografia do Brasil (DAFB), além de integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Serviço

Sessão de abertura – FIDÉ Brasil 2022

  • Dia 11 de maio (quarta-feira), às 19h30, no Cine Passeio
  • Ingressos distribuídos gratuitamente a partir das 18h30.

FIDÉ Brasil 2022

  • De 11 a 15 de maio (Quarta a domingo)
  • Entrada franca
  • Cine Passeio (sessão de abertura, 11/05 às 19h30), na Rua Riachuelo, 410 – Centro
  • Cinemateca de Curitiba (de 12 a 15/05), na Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco
Pantanal

Juma atira nos pés de Jove

Loterias

Veja o resultado das loterias desta terça-feira!

Inverno Chegou

Veja como será o primeiro dia de inverno em Curitiba

Além da Ilusão

Lorenzo declara seu amor por Letícia