Começa nesta terça (1º) o maior evento brasileiro sobre o futuro da alimentação fora de casa. O projeto foi concebido para projetar os novos espaços de consumo e modelos de negócios que devem emergir de um mercado profundamente impactado pela pandemia da covid-19. O Hack pela Gastronomia tem início com uma série de conversas (talks) temáticas, até o dia 9, sobre os desafios que rondam a cadeia do food service.

Os debates vão se desdobrar em um hackathon (evento que reúne especialista de determinada área) de cinco dias, entre 12 e 16, para buscar soluções aplicáveis ao setor. Inteiramente online e gratuito para todo o Brasil, o Hack (que significa reconfigurar ou reprogramar) nasce sob as bênçãos do Facebook Journalism Project (FJP). Em parceria com o Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ, em inglês), o FJP lançou um fundo de US$ 2 milhões para ajudar as organizações de notícias na América Latina durante a crise sanitária.

Promovido pela plataforma de conteúdo Bom Gourmet Negócios, o Hack pela Gastronomia é parte do projeto que incluiu a Gazeta do Povo na seleta lista de 44 veículos de comunicação de 12 países da América Latina que receberam os recursos da empresa.

Banco de ideias

Os talks trazem cerca de 45 grandes nomes do mercado, entre chefs, gestores, investidores e representantes de diversos setores de food service. Os debates – que podem ser acessados pelo site www.hackpelagastronomia.com.br – servirão de base para os participantes do hackathon pensarem em ações práticas, processos e produtos que possam servir para o mercado, especialmente para as micro e pequenas empresas locais.

“Com o Hack queremos partir para a ação, criar um grande banco de oportunidade e ideias, para que toda a cadeia possa se desenvolver ainda mais diante de um momento tão desafiador”, explica Andrea Sorgenfrei, Head da Pinó, nova unidade da Gazeta do Povo que promove as marcas Bom Gourmet, GazzConecta e HAUS.

O hackathon é voltado para profissionais da área de gastronomia, negócios, comunicação, marketing, UX/Design, tecnologia, programação, engenharias e finanças. Foi pensado para reunir empresários de variados portes, professores, estudantes, pesquisadores e a comunidade como um todo. Os participantes poderão escolher e propôr soluções para uma das cinco categorias: Negócios, Comportamento, Comunicação, Espaço e Tecnologia. As três melhores soluções serão conhecidas no dia 21 de setembro, durante uma live realizada pelo Bom Gourmet.

Inscrições

As inscrições estarão abertas até o dia 9 e podem ser feitas individualmente ou com um time já formado. Quem se inscrever sozinho, será direcionado a uma equipe de acordo com seu perfil e a categoria que escolher. Startups com soluções prontas podem participar do hackathon oferecendo mentorias para as equipes, e poderão disponibilizar o pitch no banco de soluções final.

Para ajudar as equipes no desenvolvimento das ideias, o hackathon utilizará metodologias ágeis aplicadas à gestão de projetos e produtos. A maratona será dividida em etapas que vão desde a ideação, passando pela prototipagem e apresentação final da solução criada. Nesse processo, a todo momento, os times serão acompanhados por mentores de diversas áreas do conhecimento.

“Muitas empresas e profissionais do setor gastronômico precisam inovar, se adaptar. Mas pra quem está dentro do negócio, às vezes é muito difícil conseguir pensar diferente, ver possibilidades. Nesse cenário, um evento de hackathon ajuda muito, porque busca, de forma criativa, solucionar problema”, explica Ana Maia, co-fundadora da Panic Lobster, plataforma que fará a operação do Hack pela Gastronomia.

>>> Mais informações pelo site https://hackpelagastronomia.com.br/.

Cronograma

  • 1º a 9 de setembro: Talks temáticos + inscrições para o hackathon
  • 10 e 11 de setembro: Formação dos times
  • 12 a 16 de setembro: Hackathon
  • 18 a 20 de setembro: Avaliação dos jurados
  • 21 de setembro: Live com a divulgação das melhores ideias

O apoio vem também de grandes marcas expressivas da cadeia da alimentação, como Compra Food Service, Gold Food Service, Paganini e Connect Pay, com patrocínio master, Jasmine e Electrolux no patrocínio dos desafios, e Compagás e Ouro Fino patrocinando os talks.