Os comediantes Emerson Ceará e Eduardo Jericó prepararam uma apresentação de stand up comedy bem diferente para esta sexta-feira (5). Num misto de oportunidade, necessidade e crítica política, os dois assumem a “boléia” de um ônibus e durante 50 minutos vão conduzir 30 espectadores por diversos locais de Curitiba. O uso da máscara será obrigatório.

A saída vai acontecer as 14h, na entrada do Jardim Botânico, um dos principais cartões postais e pontos turísticos da capital paranaense. O nome do show “Comédia sem covid” tem o slogan “Pq no ônibus não pega”, numa clara cutucada em autoridades que criaram medidas restritivas ao funcionamento das casas de shows, impactando diretamente no ganha pão de artistas, mas fazem vistas grossas aos ônibus lotados nas grandes cidades.

+ Leia mais: Curitiba Comedy Club anuncia retorno das piadas, risadas, frango, polenta e vinho

A iniciativa é curiosa e representa um grito de liberdade de artistas, afinal, mesmo que decretos da pandemia do novo coronavírus proíbam a realização de shows em casas noturnas, teatros e afins, o transporte coletivo está liberado. Portanto, se uma eventual fiscalização contra aglomerações como forma de proteção à covid-19 tentasse barrar o show, qualquer argumentação cairia por terra. Se um não pode, outro também não.

“O lance dos decretos é válido, mas tem muitas falhas. Quem circula são as pessoas, não o vírus. Ele está incubado nas pessoas. Eles proíbem apresentações no teatro achando que o vírus está lá. Proíbem cinema achando que o vírus está lá. Aí proíbem os estabelecimentos de funcionar depois das 22h. O vírus é noturno? Vírus não acorda cedo”, reclamou Eduardo Jericó à Tribuna do Paraná.

O humorista vai além na “cutucada”. “Perto das eleições, tudo liberado, pois o vírus era cabo eleitoral. Depois, vem decreto. Com base nisso, levantando a bandeira dos comediantes, sentimos muito não ter uma voz para nos representar. Portanto, é um voto de protesto mesmo”, acrescentou.

Aí veio a ideia de fazer o show dentro de um ônibus. “No Brasil todo, o ônibus lotados e terminais abarrotados. No busão não tem vírus? O trabalhador, que sai para defender o seu pão e encara o busão lotado, não tem vírus ali? E o pai de família aqui, defendendo o seu em outro segmento, não pode se apresentar porque o vírus gosta de ir ao teatro?. Tudo isso com os teatros respeitando as medidas e os ônibus não. Isso tem que mudar”, concluiu.

O ingresso para o passeio recheado de piadas e risadas custa R$ 30 e podem ser adquiridos direto no WhatsApp (69) 999469584. Jericó e Ceará são dois dos principais humoristas revelados em Curitiba nos últimos anos.

Ilustração: Luis Carlos Segatto