A pandemia e o isolamento social por causa da pandemia de coronavírus tem sido a oportunidade que faltava para muita gente deixar os fios naturais crescerem e assim assumir o tom grisalho dos cabelos. A tendência em largar a tinta tem feito a cabeça de famosos como Reinaldo Gianecchini, Astrid Fontenelle, Samara Felippo e Preta Gil. 

Pegando carona na nova moda, a dona de casa Deleuza Pavim, de 63 anos, resolveu parar de pintar o cabelo logo no início da quarentena. A primeira tentativa acabou não dando certo, mas Deleuza não desistiu. “Era para estar bem grande já, estava mais ou menos o tanto que está agora. Mas fiquei com vergonha e passei tinta no cabelo, estraguei tudo”, lamenta. 

LEIA TAMBÉM – Transição capilar: mulheres valorizam beleza própria assumindo cabelo crespo e cacheado

A dona de casa resolveu dar mais uma chance aos cabelos brancos. “Eu estou de volta, aproveitando por causa da quarentena, né? Tempos atrás, deixar o cabelo grisalho era sinal de que a pessoa estava depressiva ou desleixada. Mas isso mudou. Está até na moda deixar o cabelo de várias cores por causa da transição. Essa fase é a mais difícil”, brinca Deleuza.

Convencida a parar com as químicas, Deleuza tomou a atitude pensando no bem dela. Há alguns anos, ela descobriu um problema de hipotireoidismo e a química da tintura tem feito ela perder os fios aos poucos. “As pessoas que pensem o que quiserem, eu não quero mais colocar química no meu cabelo”, revela. 

LEIA MAIS – Se envolveu em uma “DR” nervosa com seu cônjuge? Saiba como resolver no mesmo dia

45 anos de tinturas

Sem poder sair de casa com tanta frequência por causa da pandemia, a psicóloga Sonia Maria Brito, de 64 anos, resolveu deixar o branco natural dos cabelos depois de 45 anos de tinturas feitas apenas no salão de beleza. “Eu sempre pintei meu cabelo de loiro, desde meus 19 anos. Agora sem poder ir no salão, dei preferência para cuidar de mim e não pegar covid-19”, explica Sonia.

Para Sônia, cabelos brancos é sinal de beleza e charme que remete à cabeça branquinha de sua mãe. “Eu achava lindo. Eu via o cabelo dela e pensava que um dia eu ficaria com o cabelo igual da minha mãe. Vou aproveitar a oportunidade e deixar o grisalho crescer”, conta, com nostalgia.

Sônia Brito pretende parar de pintar o cabelo depois de 45 anos de tinturas. Foto: arquivo pessoal.

Enquanto ela não vai ao salão para fazer um corte e finalizar todo o processo de transformação, Sonia pretende acentuar o branco com xampus específicos. “Eu sempre hidrato os cabelos e cuido como posso em casa mesmo, por enquanto. Agora vou ver com uma amiga cabeleireira algo mais direcionado aos fios brancos”, revela a psicóloga.

Grisalhos exigem cuidados

O cabeleireiro especialista em harmonia de cor Paulo Moro, do salão Lady Lord, explica que é possível sim eliminar parte da tintura que já está nos fios pigmentados, mas o procedimento exige avaliação. “Cada caso é um caso. Existe cabelo que você consegue limpar com descolorante, fazendo uma mexa nas partes que ainda tem tinta, amenizando o processo. Mas o ideal mesmo é parar de colorir e eliminar a cor no corte”, comenta o profissional. 

VEJA MAIS – Vovós conquistam seguidores nas mídias sociais falando de suas experiências de vida

Como o cabelo branco é muito sensível, o profissional explica que é necessário sempre ter um xampu delicado para a limpeza dos fios. “O branco é muito sensível à poluição e poeira. É interessante ter um xampu que limpa com suavidade e também um shampoo ‘silver’, para a manutenção dos cabelos brancos”, sugere. O xampu específico para cabelos brancos, segundo o cabeleireiro, é fácil de ser encontrado em casas de cosméticos.

Cabelo branco vale para todo mundo?

Na visão do cabeleireiro Paulo Moro, assumir os fios brancos não tem idade. “Eu tenho clientes de 45 anos a 85 anos que assumiram os brancos e foi libertador. E fora também que os fios brancos harmonizam com todos os tons de pele. Desde que você tenha um bom corte de cabelo, arrumação, estilo e vestir o conceito, vale sim. O segredo é um bom corte, que valorize o rosto, os traços”, reitera.