É uma tradição de quase quatro décadas: enquanto Curitiba vive uma rotina mais tranquila no mês de janeiro, músicos profissionais e estudantes de música de diferentes partes do Brasil e do exterior desembarcam na cidade para ensinar, aprender e se apresentar ao público. É a Oficina de Música de Curitiba, evento dos mais tradicionais e importantes do gênero no país. Mas em sua 38ª edição, que começa neste domingo (17), a oficina será diferente: devido à pandemia do coronavírus, o evento será totalmente online.

LEIA TAMBÉM – Conservatório de MPB oferece 22 chances de aprender música e realizar sonhos

No ano passado, a Oficina de Música reuniu mais de 2,1 mil alunos, com participantes de dez países diferentes e um público de aproximadamente 60 mil pessoas nas apresentações, realizadas em diversos espaços da cidade. Com as restrições impostas pela pandemia, não haverá atividades presenciais, mas a programação segue os mesmos moldes dos anos anteriores. Serão 73 cursos e mais de 80 concertos e bate-papos musicais, que acontecerão no ambiente virtual.

Para os organizadores, o novo formato traz a vantagem de ampliar o alcance do evento, já que será possível acompanhar as aulas e apresentações de qualquer lugar do planeta. “Essa é uma reinvenção da Oficina de Música que veio para ficar. Na próxima edição continuaremos num processo hibrido entre online e presencial. Com esse formato ganhamos em visibilidade, o número de pessoas que podem acompanhar a programação e conhecer o nosso trabalho é muito maior”, afirma Janete Andrade, coordenadora geral da oficina.

VIU ESSA? Caminho do Itupava reabre com 50% da capacidade

Essa adaptação, contudo, não foi simples. “A Oficina de Música teve que ser reinventada. Fomos desafiados a pensar num modelo totalmente online, com uma logística completamente diferente daquela que estávamos acostumados, inclusive com a redução substancial de custos”, diz Marino Galvão Júnior, presidente do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, responsável pela produção do evento. Uma central de monitoramento dos cursos à distância estará instalada no Cine Passeio, com técnicos acompanhando simultaneamente quatro salas virtuais.

Programação tem concertos e bate-papos com artistas

Mais uma vez, a oficina será dividida em duas fases: música erudita e música antiga (de 17 a 23), e música popular brasileira (de 24 a 31). A abertura acontece neste domingo, às 12h, com uma live da Orquestra de Câmara Egípcia de Meninas Cegas – Al Nour Wal Amal. As apresentações dos artistas acontecerão em três formatos: envio de material produzido anteriormente, apresentações ao vivo de suas localidades e lives gravadas em espaços icônicos da cidade, como Capela Santa Maria e Teatro do Paiol.

LEIA AINDA – Quer abrir um negócio? Ferramenta ajuda a simular a viabilidade de novos empreendimentos

Entre as atrações da fase erudita estão concertos da Orquestra Sinfônica da Bahia e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Já na fase MPB, os destaques são as Aulives, em que artistas como Lenine, Zeca Baleiro, João Bosco, Mônica Salmaso, Criolo e Charles Gavin conversam sobre seus trabalhos e a música popular. A edição deste ano homenageia o argentino Astor Piazzola, que revolucionou o tango e completaria 100 anos em 2021.

A programação completa da 38ª Oficina de Música de Curitiba pode ser conferida no site do evento, onde também serão transmitidas todas as apresentações. No site também podem ser feitas as inscrições para os cursos, que seguem abertas até este domingo.