Depois de praticamente 40 anos de espera, os fãs de Curitiba puderam se surpreender com o 1º show da banda Metallica na capital paranaense. A apresentação, que aconteceria inicialmente em 2019, precisou ser prorrogada por causa da pandemia. A espera foi longa, mas para quem esteve no Estádio Couto Pereira nesta noite de sábado (07), viu um show épico.

+Veja mais!! Show do Metallica em Curitiba! Veja fotos do espetáculo que tremeu Curitiba!

O primeiro show da noite aconteceu às 18h30, com a banda brasileira Ego Kill Talent. Os caras já tocaram em festivais em Paris, Amsterdã, também já abriram para a banda System of a Down e devem tocar em setembro deste ano no Rock in Rio.

A banda brasileira Ego Kill Talent abriu a noite de rock em Curitiba.
A banda brasileira Ego Kill Talent abriu a noite de rock em Curitiba. Foto: Marcelo Andrade.

LEIA TAMBÉM:

>> Ingressos para show do Iron Maiden, em Curitiba, estão esgotados

>> Gene Simmons, do Kiss, fala sobre drogas, fim do rock e política. Assista!

Logo em seguida, a banda de hard rock norte-americana Greta Van Fleet subiu ao palco no Couto Pereira. Com visual setentista, figurino impecável e vocais agudos, a banda animou as 45 mil pessoas que estavam no estádio. A comparação com o Led Zeppelin já foi logo notada, não só no estilo musical como também no uso de símbolos que lembram a cultura egípcia e que ficaram estampados no telão do palco.

Banda Greta Van Fleet. Foto: Marcelo Andrade.

Com cerca de 20 minutos de atraso, os caras do Metallica subiram ao palco aliviando a espera agoniante dos fãs. O estádio todo fez ecoar no nome da banda desde às 21 horas – horário programado para o início do show. Para não deixar escapar nenhum momento especial, a Tribuna elencou oito deles para comentar. Confira a lista abaixo:

1- “Estamos aqui, finalmente, depois de 40 anos”

James Hatfield, vocalista do Metallica, fez questão de dizer que estava muito feliz de estar em Curitiba diversas vezes durante o show. Já logo no início do show, Hatfield disse para a plateia: “Olá Curitiba, é um prazer conhecer vocês. Estamos aqui, finalmente, depois de 40 anos. Demoramos para nos conhecer, mas nunca é tarde”, disse o vocal, em inglês.

2- Kirk Hammett e o bottom com a bandeira do Paraná

Na direita, o guitarrista Kirk Hammett com o bottom com o desenho da bandeira do Paraná. Foto: Marcelo Andrade.

O guitarrista do Metallica Kirk Hammett fez questão de mostrar que pesquisou e conhecia bem onde iria fazer o show neste sábado (07). Quem prestou atenção no músico percebeu que ele carregava na jaqueta um bottom com o desenho da bandeira do Paraná.

O guitarrista, aliás, tem escrito no chifre esquerdo de uma de suas guitarras a frase “it comes to life / Isto vem à vida”. Kirk revelou em entrevistas que foi vítima de bullying durante o Ensino Médio e também de agressões familiares. Foi durante esta época que Kirk começou a tocar guitarra. Para o músico, a guitarra salvou a vida dele.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Tribuna do Paraná (@tribunapr)

3- “Vocês estão vivos? Têm certeza?”

Em vários momentos do show, James Hatfield perguntou aos fãs se eles estavam vivos, se estavam ali. Depois de praticamente dois anos de atrasos e cancelamos de shows, a banda finalmente segue sua turnê pelo Brasil e América Latina. E ao perguntar sempre aos fãs se eles estão vivos, fez muita gente lembrar dos tempos difíceis durante o auge da pandemia do novo coronavírus. Depois de isolamento social, sem festas e shows, os curitibanos puderam curtir um espetáculo de rock memorável na noite do último sábado.

4- Conselho para quem sofre em silêncio

Antes de tocar Fade to Black o vocalista James Hatfield deu um recado importante aos fãs sobre depressão e doenças psicológicas. “Eu sei que você está lutando por dentro. Se você não está bem, conte aos seus amigos, aos seus familiares, conte agora para mim. Peça ajuda”, aconselhou.

5- Grandes tochas de fogo, telões e fogos de artifício

Não só o bom rock metal fez o Couto Pereira vibrar neste sábado. Os efeitos especiais e pirotecnia também deram um show a parte. Grandes labaredas, que ajudaram a espantar o frio, iluminaram o estádio durante as músicas “Moth Into Flame” e “Enter Sandman”.

Fogos de artifício agitaram a galera em “One”, mas foi no final do show que uma grande queima de fogos fizeram todos olharem para o céu.

Os efeitos especiais e pirotecnia deram um show a parte no show do Metallica em Curitiba.
Os efeitos especiais e pirotecnia deram um show a parte no show do Metallica em Curitiba. Foto: Leonardo Coleto.

6- Letras atuais e imagens de guerra

Com imagens de guerra e exército de soldados com rostos de caveira, “One” fez o Couto Pereira sacudir.

7- Palhetas e baquetas para os fãs

O Metallica encerrou show com os grandes sucessos “Nothings Else Matters” e “Enter Sandman” e, para a alegria dos fãs que estavam colados no palco, James Hatfield, Kirk Hammer e Robert Trujillo jogaram muitas palhetas para o público.

Os músicos sorriam e mandavam beijos para multidão de fãs, que disputaram para conquistar uma lembrança da banda. O baterista Lars Ulrich também aproveitou e lançou várias baquetas para os fãs.

8- Clipe de Curitiba

Como agradecimento especial a Curitiba, o show do Metallica terminou com um videoclipe com imagens da passagem da banda pela cidade ao som instrumental de The Unforgiven, desde os pontos turísticos da cidade aos bastidores do show, montagem do palco no Couto Pereira, passagem de som e imagens com os melhores momentos do show da noite.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Metallica (@metallica)

Estreias

Veja 10 séries e filmes que chegam nesta semana na Netflix

Além da Ilusão

Lorenzo conta que Bento morreu

Pantanal

Jove leva Juma com ele para o Rio de Janeiro

Destaque da semana

Tudo o que você precisa saber antes de ver “Doutor Estranho 2”