Quem nunca teve a ingrata surpresa de quebrar um ovo e descobrir que ele estava estragado? Pois existem maneiras simples de evitar que isso aconteça. Algumas técnicas permitem saber se o produto está bom para consumo antes de abri-lo, evitando mau cheiro na cozinha e receitas arruinadas.

LEIA TAMBÉM:

>> E o frio chegou! Veja cinco lugares para tomar sopa em Curitiba

>> Concurso em Curitiba vai escolher a melhor pizza da cidade. Veja como participar!

>> Bairro Boa Vista, em Curitiba, ganha feira noturna às sextas-feiras

Foto: Gaelle Marcel / Unsplash
Foto: Gaelle Marcel / Unsplash

Popular nas redes sociais, o teste da lanterna costuma ser rápido e ter resultado garantido, podendo ser observado com facilidade em ambientes mais escuros. Consiste basicamente em encostar a luz de uma lanterna (pode ser a do próprio celular) na casca do ovo. Se o ovo estiver fresco, vai ficar totalmente iluminado, como se estivesse brilhando. Se estiver podre, ficará escurecido.

“Também pode acontecer de o ovo ficar iluminado, mas com uma mancha escura. Isso indica que ele já não é tão fresco, mas ainda está próprio para consumo”, explica a nutricionista Rubia Santos, que integra o Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná (CRN-PR). “Muitas vezes, com a luz da lanterna, também é possível ver ramificações avermelhadas dentro do ovo. É sinal de que ele está fecundado”.

Os ovos têm a casca porosa e são compostos por água. O brilho depende, segundo Rubia, da quantidade de líquido que o produto contém. Os ovos mais frescos têm bastante água, que permite passar a luz. Já os ovos em estado de putrefação, perderam água e acumularam oxigênio. “Quando o ovo não fica brilhante com a luz da lanterna, é por que ocorreram trocas gasosas e ele tem compostos de enxofre, que causam mau cheiro quando a casca é quebrada”.

Teste da água

A mesma lógica tem o teste da água, muito conhecido e usado pelas donas de casa. Nele, o ovo é imerso em um copo ou vasilha cheia de água. Se ele estiver bom, vai afundar de modo horizontal. Se não for fresco, mas ainda adequado ao consumo, irá ficar levemente inclinado. Se boiar, está velho e possivelmente estragado. O que determina uma coisa ou outra também é a quantidade de líquido presente dentro do produto.

Eficácia garantida contra bactérias

Porém, e apesar da eficácia dos testes, o melhor parâmetro para evitar contaminação é quebrar o ovo em um recipiente separado e observá-lo. Isso, de acordo com pesquisadores da área de Microbiologia e Segurança Alimentar da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto (UCP), é o que garante de forma mais segura que o ingrediente esteja livre de bactérias.

Um ovo fresco tem a gema bem redonda e brilhante e, a clara, um aspecto gelatinoso e bem delimitado ao redor. Foto: Reprodução Pinterest / El Oso Con Botas

Como é um ovo fresco

Um ovo coletado dentro do período de uma semana tem a gema bem redonda e a clara firme, brilhante, gelatinosa e com aroma que lembra cloro. Também é normal que parte da clara seja mais líquida, se espalhando mais facilmente e formando um segundo aro ao redor da gema.

Fresco, conforme explicação do chef João Soto, o ovo costuma pesar entre 50 e 80 gramas, enquanto um não tão fresco (de três a quatro semanas) se mostra bem mais leve, pesando de 25 a 30 gramas. O ovo choco ou galado (fecundado), por sua vez, é bem mais pesado.

Pantanal

Tibério proíbe Muda de falar com Alcides

Além da Ilusão

Úrsula rouba o bebê de Heloísa

Novidades

Comédia com Paulo Gustavo e mais filmes e séries chegam nesta semana na Netflix, confira!

Carreira

Ganhadora do prêmio de pior atriz a vida rodeada de polêmicas, quem é Anne Heche?