A esperança e a emoção se espalharam pelo Hospital Marcelino Champagnat, de Curitiba, na tarde desta sexta-feira (5). Tudo começou quando Vanessa Almeida Silveira, de 40 anos, passou a sentir contrações em casa e foi orientada pela obstetra a ir até o consultório para avaliação. No caminho, as dores aumentaram e ela chegou ao hospital com 9 cm de dilatação. Já não havia tempo para ir a outro local e o parto precisava acontecer naquele momento.

Como o Hospital Marcelino Champagnat não oferece serviço de obstetrícia, parte da equipe do Pronto Atendimento precisou agir rápido para realizar o atendimento e preparar o centro cirúrgico para a chegada do pequeno Gael.

A ginecologista obstetra Christiane Ribas Berger conta que esse nascimento traz esperança para a equipe médica neste momento em que a rotina de trabalho fica cada vez mais intensa na linha de frente dos serviços de saúde.

“Estamos muito cansados, chateados e tristes, perdendo pessoas e tantos entes queridos por causa da covid-19. No meio de toda essa confusão ver um pingo de gente, muito fofo, nascendo nos reconforta. Sentimos muita gratidão e honra por participar desse momento tão especial”, celebra.

A mãe e a criança estão bem e foram encaminhados para o Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças.