O objetivo de uma Festa junina pode ir além de proporcionar a confraternização entre as pessoas. Pode ser um momento de reflexão e aprendizado sobre sustentabilidade e consumo consciente para uma instituição de ensino de Curitiba. A Escola Pedro Apóstolo, localizada no bairro Capão Raso, realizará seu evento típico do mês no próximo sábado (25) com ações que buscam aliar a economia circular, preservação ambiental e diversão.

Para isso, convidou estudantes e familiares a participarem de uma festa em que, ao invés de compra e venda de produtos, haverá a colaboração de todos para a troca e compartilhamento de prendas, além da destinação adequada dos resíduos gerados no evento.

Na festa, as comidas e bebidas consumidas serão todas fornecidas pelas famílias e os quitutes serão preparados pela escola. Com isso, não haverá a necessidade de compra e venda de guloseimas no evento. Para a tradicional quermesse, cada estudante da instituição vai escolher em casa até cinco brinquedos ou livros que não são mais utilizados para que possam ser utilizados como prendas nas brincadeiras que complementarão a festa. Caso alguma família tenha interesse em levar mais do que cinco brinquedos, o excedente será doado para o do Hospital Pequeno Príncipe.

Com essas atitudes, a Pedro Apóstolo quer estimular os alunos e familiares a repensarem sobre consumo e promover a reflexão sobre o reuso daquilo que está obsoleto em casa, conforme explica a diretora da instituição, Carolina Paschoal.

“A alta demanda de trabalho e compromissos em que as pessoas de forma geral estão inseridas algumas vezes não possibilita a elas refletir sobre o consumo e a sustentabilidade, levando em conta os 5 RS: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar. Esta ação da escola tem como propósito ensinar aos nossos estudantes que, muitas vezes, o que não faz mais sentido para ele pode fazer para uma pessoa próxima. Penso ainda que promover esta conscientização em família agregará mais valor para esta ação”, explica Carolina. 

A sustentabilidade ainda estará presente na forma como a diretoria escolheu para dar destino ao que for consumido na festa. Todos os resíduos possíveis serão enviados para a compostagem. Desta forma, desde restos de alimentos até itens como guardanapos e pratos de papelão utilizados terão um destino adequado para diminuir os impactos que este tipo de resíduos causa, principalmente da geração de gases poluidores. Junto com essa atitude, a escola também incentivou e convocou as famílias a trazerem seus copos retornáveis de casa para o consumo das bebidas, o que diminui a quantidade de itens descartáveis.

“Como educadores, entendemos que esse momento de festa também é de conscientização sobre o que produzidos e como devemos mostrar aos alunos e familiares as melhores formas de reutilizar ou reciclar esses resíduos do nosso cotidiano”, explica a diretora.

Ações de economia circular, como essas que serão promovidas na festa, são uma característica da Pedro Apóstolo. Um exemplo são as feiras de troca de uniformes que acontecem ao final dos anos letivos, e que envolvem as famílias na possibilidade de reaproveitar peças de roupas de outros alunos.

A comunidade escolar da Pedro Apóstolo já tem como rotina atender ao chamado para ações buscam um planeta menos impactado pelas ações do ser humano. Um dos projetos realizados em 2021 e que permanecem até hoje, por exemplo, foi o de Permacultura, que atraiu os alunos para construírem conhecimentos sobre métodos de agricultura e construção que visam viver de forma mais harmoniosa e colaborativa com a natureza.

A escola ainda composta 100% dos seus resíduos orgânicos produzidos no refeitório e promove arrecadações permanentes de óleo usado, tampinhas plásticas, esponjas de louça e materiais escolares sem condições de uso que são encaminhados às recicladoras mensalmente.

No mês de junho ocorreram duas campanhas temporárias que consistiram na arrecadação de papel das famílias que atingiu a marca de 800 quilos para contribuir com a Ong Papel Bom pra Cachorro, como também a arrecadação de 30 quilos de meias que serão transformadas em cobertores pela empresa Puket.

Diversidade cultural

O conhecimento que será adquirido no evento não para por aí. Além da conscientização ambiental, a escola também vai promover a tolerância com as culturas que formam o Brasil. Isso porque este será o tema das atividades do evento, que ganhou o nome de “Festa Brasilidades”. A escolha foi feita justamente pela variedade de expressões artísticas e culturais que o país possui e pela necessidade de propagar o respeito.

“Muitos povos brasileiros, como é o caso dos nordestinos e dos moradores do Norte do País, que possuem uma cultura tão rica e importante para nossa sociedade, sofrem preconceitos fora de suas regiões de origem. Como escola, precisamos ajudar na mudança dessa situação. Por isso, a tolerância vai permear todas as atividades que vamos oferecer para as famílias”, explica Carolina Paschoal.

Para promover esse cenário de variedade cultural, a festa terá brincadeiras regionais típicas dos estados brasileiros. Além disso, cada turma da escola vai representar uma região brasileira e os estudantes participarão de diferentes danças regionais, como o Fandango Caiçara. O palco em que acontecerão as apresentações é uma releitura do quadro Abaporu, de Tarsila do Amaral, uma das artistas brasileiras mais importantes do Modernismo. A obra de arte foi pintada no ano de 1928, época marcada pelo crescimento da valorização da cultura nacional com diferentes movimentos artísticos.

A Escola Pedro Apóstolo fica na Rua Dr Manoel Linhares de Lacerda, 69 – Capão Raso. Mais informações pelo telefone 41 3347-5834 / Whatsapp: 41 99684-7218