As alegrias e os desafios da vida conjugal não impactam apenas em você e o seu cônjuge, mas também os seus filhos. Ao deixar que as arestas do relacionamento entre marido e mulher cresçam e se tornem verdadeiros problemas, o casal pode causar graves feridas nos filhos e até mesmo prejudicar a visão que eles têm de um relacionamento.

O Sempre Família já tratou sobre como as brigas dos pais afetam o comportamento dos filhos. Mas as brigas são somente um dos fatores que podem prejudicar a saúde emocional e o futuro dos pequenos. Frieza, palavrões, falta de paciência e de diálogo. Quando problemas como esses não são resolvidos, é bem possível que eles sejam transmitidos aos filhos, abrindo portas, inclusive, para que essas crianças vivam relacionamentos abusivos no futuro.

+ Leia mais: Vacinação contra a gripe é prorrogada. Saiba onde receber a imunização!

Confira quais são os cinco principais problemas que criam um ambiente de conflito emocional, fazendo com que o lar se torne um lugar tóxico para os pequenos:

Brigas

Viver em um lar hostil e em um ambiente infeliz impacta a autoestima das crianças e cria problemas de confiança. É comum que as crianças internalizem essa agressividade e se perguntem o que há de errado com elas para que os seus pais estejam brigando desse jeito. Elas acreditam que são elas as causadoras da desarmonia. Essa culpa desnecessária pode acompanhá-las com o passar dos anos e chegar à vida adulta, prejudicando os seus relacionamentos. O ciclo, então, continua.

Rivalidade

Sabe quando você e seu cônjuge tomam juntos uma decisão, mas um de vocês interiormente não a aceita bem, fica com um pé atrás e começa a prejudicar a execução dessa decisão? Isso é extremamente prejudicial, sobretudo se for uma decisão relacionada à educação dos filhos. Um casal é um time, uma equipe. É impensável que um dos cônjuges plante armadilhas na vida do outro ou que um se coloque contra o outro diante dos filhos. Isso ensinaria as crianças a serem manipuladoras, a se tornarem pessoas que não respeitarão o espaço dos outros quando o objetivo for a vitória do próprio ego.

+ Veja também: Planos frustados na pandemia? Saiba como lidar com expectativa x realidade

Falta de comunicação

Você tem dificuldades de se comunicar com o seu cônjuge? Esforce-se por melhorar nesse ponto. Ser arrogante ou indiferente e não se comunicar ensinará aos seus filhos que é melhor varrer os problemas para debaixo do tapete – onde eles continuam crescendo. Eles aprenderão ainda a se “desligar” emocionalmente, tornando-se agressivos quando contrariados ou mesmo entediados. Mostrem aos seus filhos que a comunicação funciona e é uma parte importante da vida, dentro e fora do lar.

Mentiras

As crianças não são bobas. Elas sabem quando você é desonesto. Todos nós conhecemos pessoas que são mentirosos de carteirinha e entendemos como esse comportamento é prejudicial. Basta parar para pensar: você gostaria que seu filho ou sua filha casasse com um mentiroso? Seus filhos precisam saber, por sua própria experiência, que existem pessoas honestas e sinceras, e que é bom ser assim – começando por seus pais. Mesmo aquelas “mentirinhas brancas”, como dizer que você não está em casa para não atender um telefonema, ensinará seus filhos a usar desse artifício recorrentemente – provavelmente, até mesmo com você.

Menosprezo

Menosprezar seu cônjuge ou tirar sarro dele na frente dos seus filhos influenciará muito o comportamento deles, agora e no futuro. Eles mesmos sentem pelo pai ou mãe desprezado e, além disso, aprendem que não é tão ruim assim falar mal daqueles com quem nos relacionamos. Se você e seu cônjuge estão discordando sobre alguma questão, resolvam ela em privado, ao mesmo tempo em que mostram aos filhos que é possível discordar e dialogar sem pintar o outro como um vilão. Isso, sim, ensinará muito a eles.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?